Delícias de Fortaleza


Sabores exóticos e temperos peculiares da região fazem com que a culinária cearense agrade aos paladares dos turistas que visitam a cidade de Fortaleza. Os pratos típicos da região são sarapatel, sarrabulho, panelada, galinha à cabidela, buchada, baião de dois, paçoca, carne de sol, peixada e lagosta.
Vamos aprender a fazer alguns pratos típicos:

Lagosta Gratinada:

Caldo:
  • 01 cabeça grande de peixe
  • 02 cebolas médias cortadas em quatro partes iguais
  • 02 pimentões verdes médios sem sementes cortados em pedaços grandes
  • 02 tomates médios sem sementes cortados em quatro partes
  • 06 talos de cebolinha cortados em pedaços grandes
  • ½ xícara (chá) de folhas de coentro picado
  • ½ xícara (chá) de folhas de salsa picada
  • 01 colher (chá) de pimenta do reino
  • Sal a gosto
  • 04 xícaras (chá) de água
Lagosta:
  • 02 lagostas (1 ½ kg cada uma)
  • 04 colheres (sopa) de manteiga
  • 01 cebola média ralada
  • 02 colheres (sopa) de maisena dissolvida em 01 xícara (chá) de leite de coco
  • ½ xícara (chá) de conhaque
  • 02 abacaxis maduros
  • Arroz branco cozido para acompanhar ou batatas bolinha na manteiga
  • Queijo parmesão ralado para polvilhar
Preparo:
Caldo:
Coloque todos os ingredientes em uma panela, leve ao fogo alto, deixe ferver, tampe, abaixe o fogo e cozinhe por 30 minutos ou até a cabeça de peixe se desmanchar. Tire do fogo, coe o caldo e reserve.
Lagosta:
Retire as cascas e vísceras e corte a carne em cubinhos. Coloque metade da manteiga em uma panela, aqueça em fogo médio, junte cebola, refogue até dourar, acrescente maisena, o caldo coado e cozinhe mexendo de vez em quando, até obter um creme homogêneo. Tire do fogo e reserve.
Em outra panela, coloque a manteiga restante, aqueça em fogo médio, junte a carne de lagosta e cozinhe até dourar. Coloque conhaque com uma concha de metal, aqueça na chama do fogão, quando o conhaque ficar em chamas, despeje sobre a carne de lagosta e deixe flambar até as chamas se apagarem. Junte a lagosta ao creme preparado, misture e reserve.
Corte os abacaxis ao meio no sentido do comprimento, retire a polpa deixando uma divisão no meio, corte a polpa retirada em cubinhos, acrescente ao creme de lagosta e misture bem. Distribua o creme numa metade do abacaxi e na outra metade coloque o arroz. Por cima do arroz coloque um pouco do creme e polvilhe tudo com parmesão ralado.
Leve as metades de abacaxi ao forno e asse até ficarem gratinadas. Tire do forno e sirva em seguida.

Bolo Luís Felipe:

Massa:
  • 05 ovos
  • 01 xícara (chá) de leite de coco
  • ½ xícara (chá) de queijo parmesão ralado
  • 01 xícara (chá) de farinha de trigo
  • ½ xícara (chá) de manteiga
Calda:
  • 05 ½ xícaras (chá) de açúcar
  • 1 ½ xícara (chá) de água
Preparo:
Massa:
Pré-aqueça o forno em temperatura alta (220º C).
Unte com manteiga uma forma de 25 cm de diâmetro.
Em uma tigela refratária, junte ovos, leite de coco, queijo ralado, farinha de trigo, misture bem, junte manteiga e misture novamente, reserve.
Calda:
Em uma panela, coloque açúcar, água, e misture.
Leve ao fogo alto, mexendo sempre.
Deixe o açúcar dissolver e a calda começar a ferver, pare de mexer.
Deixe a calda ficar em ponto de fio brando e tire do fogo. Despeje a calda fervente sobre a mistura na tigela e mexa até obter uma massa homogênea.
Coloque a massa na forma, leve ao forno e asse por cerca de 50 minutos ou até o bolo ficar dourado.

Os sabores da Bahia


A Bahia possui sabores maravilhosos, pratos que só de olhar dão água na boca, os principais pratos típicos baianos utilizam frutos do mar, carne de sol, cereais, frutas e muito óleo de dendê.
Aqui vão algumas receitas típicas da Bahia:

Acarajé:

  • 02 xícaras (chá) de feijão fradinho
  • 01 colher (chá) de sal
  • 01 dente de alho socado
Deixe de molho de um dia para o outro nesta mistura com bastante água. No dia seguinte escorra o feijão, e guarde a água para ser reutilizada. Embrulhe o feijão num pano de prato e esfregue vigorosamente para remover as peles. Cate bem e retire todas as peles.
Coloque metade do feijão no copo do liquidificador e junte:
  • 01 xícara (chá) do líquido reservado
  • 02 dentes de alhos picados
  • 01 ½ colher (chá) de sal
  • 01 colher (chá) de molho forte de pimenta
  • ½ colher (chá) de pimenta do reino
  • 01 colher (chá) de fermento em pó
Bata bem o feijão ate formar uma massa homogênea. Repita este passo com o restante do feijão juntando uma xícara do liquido reservado, omitindo os temperos. Misture as duas partes da massa e ponha de lado para descansar pelo menos meia hora. Vá colocando as colheradas da massa em bastante óleo fervendo onde se juntou 2 colheres de sopa de azeite de dendê.

Retire os bolinhos com a escumadeira quando estiverem fritos e dourados. Deixe escorrer em papel absorvente e mantenha-os quentes no forno. Para servir os bolinhos parta cada um ao meio sem separar as partes. Coloque molho forte de pimenta dentro e camarões cozidos.

Banana Real:


  • 02 bananas da terra maduras
  • 02 colheres (sopa) de manteiga
  • 05 colheres (sopa) de leite
  • 01 colher (sopa) de açúcar refinado
  • Farinha de trigo
  • 01 colher (chá) de fermento em pó
  • 02 gemas
  • 01 pitada de sal
Junte a manteiga, as gemas, o açúcar e o sal, por último a farinha de trigo em quantidade suficiente para fazer uma massa. Depois abra a massa com um rolo, corte em 3 quadrados e recheie com um pedaço de banana cortada na vertical ( pelo comprimento). Frite em óleo quente e depois de pronta, passe no açúcar e na canela.




Pratos típicos do Rio de Janeiro


A cidade do Rio de Janeiro além de ser considerada uma das cidades mais lindas do mundo, também é conhecida pela sua culinária diversificada. Há diversos restaurantes espalhados pela cidade que servem variados tipos de cardápios de comida nacional e internacional. As comidas típicas do Rio de Janeiro além da feijoada são: picadinho carioca, peixada à brasileira, filé a Osvaldo Aranha, pastel de palmito, rabada carioca, sopa Leão Veloso, empada de camarão, mãe benta, croquetes de aipim, toucinho do céu, entre outros.

Filé a Osvaldo Aranha:


É um prato típico carioca criado para homenagear o político gaúcho Osvaldo Aranha, que consiste em um filé mignon alto ou contra filé temperado com alho frito, acompanhado de batatas portuguesas, arroz branco e farofa de ovos.

Receita de Sopa de Leão Veloso:


  • 500 g de camarões pequenos
  • 1 kg de mexilhões com as conchas
  • 01 peixe inteiro (garoupa, badejo, mero) com cerca de 2        kg
  • 01 amarrado de salsa, coentro, cebolinha verde e 1 folha       de louro
  • 03 dentes de alho
  • 01 colher (chá) de coentro em grãos
  • 01 xícara (chá) de cheiro verde picado
  • 02 xícaras (chá) de tomates maduros sem pele e                   sementes picados
  • Pimenta de cheiro a gosto
  • 04 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 03 xícaras (chá) de carne de siri
  • 03 xícaras (chá) de carne de lagosta
Preparo:

Lave os camarões e mexilhões e reserve.

Retire a cabeça do peixe, coloque-a em um caldeirão, cubra com cerca de 5 litros de água fria, tempere com sal a gosto, leve ao fogo alto, deixe ferver.

Junte o amarrado de ervas, tampe o caldeirão, abaixe o fogo e cozinhe por cerca de 1 hora e meia.

Elimine a cabeça do peixe e o amarrado de ervas coe o caldo e leve novamente ao fogo.

Coloque os camarões em uma cesta de arame para fritura, mergulhe no caldo, cozinhe somente até ficarem rosados, tire do caldo, elimine as cascas, limpe e reserve.

Faça o mesmo com os mexilhões, até as conchas se abrirem, tire do caldo, remova as conchas e reserve.

Mantenha o caldo em fogo alto.

Amasse os dentes de alho com grãos de coentro e 1 colher (chá) de sal até obter uma pasta, acrescente ao caldo, junte cheiro verde, tomates, tempere com pimenta, deixe ferver, tampe a panela, abaixe o fogo e cozinhe até os tomates ficarem macios.

Corte o peixe em postas, tempere com sal e pimenta, coloque azeite em uma panela, aqueça em fogo médio, junte as postas de peixe, frite até ficarem douradas, tire do fogo e elimine a pele e espinhas.

Desfie a carne do peixe, acrescente ao caldo junto com as carnes de siri e lagosta, camarões e mexilhões.

Acrescente um pouco de água na panela onde o peixe foi frito, deixe ferver, junte ao caldo, misture, verifique o tempero, deixe ferver.

Receita de Caipirinha:




  • 01 limão galego
  • 01 colher (sopa) de açúcar
  • 02 cubos de gelo triturados
  • 04 colheres (sopa) de pinga
Preparo:

Lave o limão e corte em quatro partes iguais e retire a parte interna branca. Coloque em um copo baixo e largo, junte o açúcar e com um socador amasse até liberar todo o suco.

Acrescente a pinga e o gelo triturado.

Receitas típicas da cidade de São Paulo


Que tal colocar a cidade de São Paulo no seu próximo roteiro internacional de viagens? A cidade de São Paulo é o centro da culinária brasileira e internacional, por ser uma cidade que reúne diversos povos também é onde se concentram diversos tipos de restaurantes.

Aqui vou deixar alguns pratos típicos da culinária da cidade de São Paulo, que vale a pena experimentar e saborear.

Virado à paulista


Ingredientes:
  • 250 g de bisteca de porco, sendo 50 g cada uma
  • 50 ml de óleo
  • ½  kg de toucinho fresco
  • 100 g de linguiça toscana fresca
  • Sal a gosto
  • 03 bananas
  • 04 ovos
  • 100 g de farinha de rosca
  • 03 dentes de alho
  • 150 g de couve
  • 50 g de farinha de trigo
  • 100 g de farinha de mandioca
  • 150 g de feijão cozido
  • 50 g de toucinho defumado
  • 150 g de arroz cozido
  • 02 limões
  • 01 pitada de pimenta do reino
  • ½ maço pequeno de salsa
  • 25 ml de leite
Preparo:

Temperar a bisteca com sal, 1 limão, pimenta do reino e um pouco de salsa. Deixe marinando por no mínimo 2 horas.
Descascar e empanar as bananas passando-as na farinha de trigo, em seguido em 2 ovos acrescido de leite e sal, e por último na farinha de rosca.

Corte o toucinho defumado em cubos, coloque óleo em uma caçarola e deixe fritar o toucinho defumado até ficar sequinho em ponto de torresmo. Quando estiver quase seco salpique com sal.

Corte a couve em tiras finas, refogue com um poço de alho, toucinho defumado é óleo. Coloque o feijão, apenas os grãos, no fogo e acrescente o óleo que sobrou do torresmo, acrescente alho e cebola. Misture com colher de pau e por último acrescente o caldo, deixe cozinhar por 10 minutos, acrescente a farinha de mandioca aos poucos, mexendo ligeiramente.

Frite a linguiça e os olhos estalados. Frite as bistecas. Na montagem do prato, de preferência uma travessa, da seguinte maneira:
  • O virado do feijão no centro da travessa;
  • O arroz, a bisteca, a couve, a linguiça, bananas e o torresmo ao redor do virado;
  • Os ovos devem ser colocados em cima da bisteca, sem estourar as gemas.
Rendimento: 03 porções

Bolinho de chuva


Ingredientes:
  • 02 ovos
  • ¾ xícaras (chá) de açúcar
  • 02 colheres (sopa) de manteiga
  • ½ colher (chá) de sal
  • 01 colher (sopa) de fermento em pó
  • 01 xícara (chá) de leite
  • 02 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • Óleo de milho para fritar
  • Açúcar e canela em pó para polvilhar

Preparo:

Coloque os ovos, a manteiga, o açúcar e o sal e misture bem. Acrescente alternadamente à mistura o leite e a farinha de trigo mexendo sempre com uma colher.

Junte o fermento e misture bem. Numa panela média coloque bastante óleo e leve ao fogo alto para aquecer. Quando o óleo estiver quente, abaixe o fogo.

Com duas colheres (sobremesa), modele os bolinhos. Encha uma das colheres com a massa e passe de uma colher para outra até que a massa fique com um formato arredondado.

Coloque pequenas porções de bolinhos no óleo quente, deixe fritar até que os bolinhos fiquem dourados. Retire os bolinhos e deixe secar em papel toalha.

Num prato fundo coloque o açúcar e a canela em pó e misture bem, Passe os rolinhos por esta mistura até envolvê-los completamente, e sirva a seguir.

Rendimento: 12 porções

Pupunha, palmeira tropical



Pupunha é uma palmeira que pode chegar até 20 m de altura, e é uma planta típica da floresta tropical muito conhecido pelos nativos da América Central a Floresta Amazônica. O fruto da pupunha é consumido em geral depois de cozido em água e sal como óleos comestíveis, com farinha ou geleias. É rico em proteínas, cálcio, fósforo, ferro, pró-vitamina A, caroteno, vitamina B1 e vitamina C.

A pupunha é muito utilizada na confecção de compensados para a produção de objetos de design e decoração. O compensado é obtido através de ripas do estipe da palmeira prensadas horizontalmente com adesivo de base vegetal. A parte aproveitável do estipe da pupunha é a região periférica considerada um material lenhoso de alta densidade e rigidez.

Pudim de Pupunha

Ingredientes:

1 lata de leite condensado
A mesma medida (lata) de leite 
1/2 medida (lata) de pupunhas cozidas, sem caroço e passadas no processador
02 ovos
1 pitada de sal
Canela em pó

Preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador e reserve.
Faça a calda de açúcar e água (mesma medida de açúcar e água), caramele forminhas de preferência plásticas, mas que suportem altas temperaturas, e despeje a mistura do pudim em cada uma delas.

Leve para cozinhar ao vapor por 30 minutos, aproximadamente.

Retire, deixe esfriar e leve à geladeira.

Sirva gelado.


Sapoti



O sapoti é um fruto originário da América Central, mas desenvolveu-se também em outras regiões de clima subtropical da Ásia, América e Oceania.

É um fruto saboroso rico em vitaminas A, B1, B2, B5, C, cálcio, ferro e fósforo. É muito utilizado na culinária, além de ser consumido in natura.

O látex é utilizado na fabricação de goma de mascar e a madeira na produção de cabos de ferramentas e móveis. 

Remédio caseiro para problemas intestinais

Em um recipiente, coloque 300 ml de água e leve ao fogo. Quando começar a ferver, desligue e adicione uma colher de chá das sementes de sapoti. Tampe e deixe descansar por um período de, aproximadamente, cinco minutos ou até amornar. Consuma uma dose de, no máximo, três xícaras por dia.

Jenipapo



Jenipapo em tupi-guarani significa a fruta que mancha, os índios usam o suco da fruta para pintar o corpo. Esta fruta é originária da América Central e da Índia Ocidental. A árvore de jenipapo alcança em média 15 metros de altura e possui copa grande e arredondada.

As flores são grandes, vistosas e levemente aromáticas. O fruto é ovoide com 5 a 12 cm de diâmetro de cor escura e casca rugosa e murcha. É um fruto suculento, de aroma forte e ácido para ser consumido in natura. Porém, é um fruto muito utilizado como matéria-prima de doces, licores, xaropes, sucos, vinhos e quinino.
Na medicina caseira, o jenipapo é utilizado como fortificante e estimulante de apetite. É um fruto que possui elevado conteúdo de ferro, além de possuir cálcio, hidratos de carbono, calorias, gorduras, água e vitaminas B1, B2, B5 e C.

Segundo estudos científicos, o suco de jenipapo é ideal para combater a anemia e verminoses, além de fazer bem aos asmáticos e é aconselhável nos casos de hidropisia por ser um excelente diurético. O suco de jenipapo também é muito utilizado no controle de plaquetas do sangue em pacientes que fazem quimioterapia e ou radioterapia. A casca é um excelente diurético contra úlceras, anemias e outras doenças.
O jenipapo é utilizado como corante para tintura em tecidos, artefatos de cerâmica e tatuagem. A casca do jenipapo é utilizada no tratamento de couros.

A madeira do jenipapeiro de cor marfim é mole, elástica e flexível. É empregada na construção naval e civil, além de marcenarias de luxo, fundições na moldagem de peças, xilogravura, tanoaria, e na fabricação de cabos de ferramentas.

Licor de Jenipapo

Ingredientes:

5 frutas de jenipapos
900 ml de água
800 gr de açúcar
500 ml de aguardente (cachaça, pinga).
1 vidro grande com tampa

Preparo:

Pegue o vidro e despeje a aguardente dentro, coloque os jenipapos lavados e cortados em quatro pedaços cada, feche bem e deixe por 10 dias.

Passados os 10 dias, pegue o açúcar e a água, leve ao fogo e ferva bem até formar uma calda grossa, leva mais ou menos 30 minutos fervendo. Retire do fogo e deixe esfriar.

Despeje a mistura da calda do açúcar junto com o jenipapo com pinga que está 10 dias no vidro e coe tudo com um pano, espremendo bem para retirar os restos do jenipapo.

Pegue um filtro de papel grande e coe tudo novamente para ficar bem filtrado.

Envase em litros ou frascos bem fechados.

Gabiroba



Gabiroba é um fruto nativo do cerrado brasileiro, principalmente das regiões sul, sudeste, nordeste e centro-oeste, além de ser encontrada também na Argentina e Uruguai.

É um fruto arredondado de coloração verde-amarela de polpa esverdeada e suculenta. A gabiroba pode ser consumida in natura ou em forma de sucos, doces, sorvetes, geleia e licores.

A gabiroba é rica em proteínas, niacina, sais minerais, vitaminas do complexo B, e possui propriedades medicinais como adstringente e antidiarréica. A infusão das folhas da gabiroba é relaxante e ótima para aliviar dores musculares.

Sorvete de Gabiroba

Ingredientes:

1 lata de leite condensado
1 caixinha de creme de leite
1 lata de suco de gabiroba
1/2 litro de creme de leite fresco

Preparo:

Para obter o suco da gabiroba precisa-se espremer uma a uma, bata no liquidificador com um pouco de água, coe e reserve.

Bata no liquidificador o leite condensado, o creme de leite e o suco de gabiroba, à parte, bata o creme de leite fresco conforme instrução da vasilha, até virar chantilly.

Misture o chantilly com o creme obtido, coloque em um pote e leve ao congelador por cerca de 6 h.
Serva com calda de amora.